O presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez neste domingo um chamado aos líderes mundiais de todas as confissões religiosas em favor da “moderação e responsabilidade” para evitar tensões.

“Sabemos quão sensível é este âmbito. Acho que seria correto chamar os líderes das confissões religiosas mundiais à moderação e responsabilidade”, disse Putin, segundo a agência Interfax, em reunião com os chefes dos Parlamentos do Grupo dos Oito (G8, os sete países mais industrializados e a Rússia).

O chefe do Kremlin, que se reuniu com os líderes parlamentares em Sochi, balneário russo às margens do mar Negro, disse que a Rússia, atual presidente rotativa do G8, faz tudo o que está a seu alcance para “promover o diálogo entre civilizações”.

“Estamos convencidos de que os líderes das principais religiões mundiais terão força e sabedoria suficientes para evitar situações extremas nas relações entre as confissões”, acrescentou.

O mundo islâmico reagiu com indignação a um discurso pronunciado na última terça-feira em Regensburg (Alemanha) pelo papa Bento 16, no qual citou um diálogo entre o imperador Manuel 2º (1391) com um erudito persa.

Recorrendo a um diálogo entre o imperador bizantino com o erudito, o papa ressaltou que o governante dizia a seu interlocutor que na religião de Maomé só existiam “coisas más e desumanas, como sua ordem de divulgar a fé usando a espada”.

Bento 16 já expressou aos muçulmanos sua tristeza por suas palavras terem sido mal-interpretadas e insistiu em que não desrespeitou a fé islâmica.

Fonte: Folha Online