A TV estatal italiana RAI decidiu na terça-feira comprar um documentário da BBC sobre o abuso sexual de crianças cometido por padres católicos, mas só vai transmiti-lo se ele estiver acompanhado de opiniões da Igreja.

O documentário provocou uma disputa política entre direitistas contrários à sua transmissão e esquerdistas que afirmavam que a censura violaria a liberdade de expressão.

Na terça-feira, o diretor-geral da RAI, Claudio Cappon, aprovou a compra do documentário, chamado “Crimes Sexuais e o Vaticano”, mas estabeleceu condições para sua transmissão.

Ele exigiu que o programa que passará o documentário, o Ano Zero, também deixe representantes da Igreja dar a sua versão dos fatos e contestar as afirmações feitas pelo documentário.

Michele Santoro, um jornalista de tendência esquerdista, pretendia transmitir o documentário na quinta-feira, mas resolveu adiar a transmissão.

O documentário foi exibido pela BBC em outubro, mas não na Itália. Apesar disso, ele foi traduzido por bloggers e hoje é o vídeo mais assistido em um site de compartilhamento na Itália.

Fonte: Reuters