A rainha da Inglaterra, Elizabeth II, manifestou por meio de carta seu apoio aos líderes do movimento tradicionalista anglicano que lutam pela “mudança” dos homossexuais no país. A monarca manifestou claramente que é contra as relações entre pessoas do mesmo sexo e a ordenação de padres homossexuais em correspondência oficial enviada na última segunda-feira, 6, citada pelo jornal inglês Daily Telegraph.

Elizabeth II, que já está com 83 anos, escreveu várias cartas dizendo que “compreendo as preocupações com o futuro da igreja anglicana”. Ela enviou sua mensagem aos religiosos durante um almoço realizado em Londres com o objetivo de lançar uma nova aliança entre paróquias evangélicas e anglo-católicas da Grã- -Bretanha e da Irlanda.

O grupo que recebeu a solidariedade real inglesa é formado por dissidentes anglicanos que no ano passado formaram, em Jerusalém, a Fraternidade dos Fiéis Anglicanos, infelizes com a aceitação de homossexuais no anglicanismo. A nova ala de religiosos escreve desde então para a rainha pedindo que exerça o que para eles é o papel dela enquanto líder suprema da Igreja de Inglaterra, não deixar os homossexuais casarem e serem padres.

A solidariedade de Elizabeth II foi tão terna que até mesmo os próprios anglicanos conservadores ficaram surpresos. “As cartas são muito reconfortantes”, disse um líder evangélico ao Daily Telegraph. A Igreja de Inglaterra separou-se da Igreja Católica em 1534, por iniciativa do rei Henrique VIII, que foi excomungado pelo Papa depois de pedir a anulação do seu casamento com Catarina de Aragão para se casar com sua amante.

Fonte: Mix Brasil