Hoje, às 20h, a Record News vai ao ar com uma entrevista dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. E dinheiro parece não ter sido o maior dos problemas para a emissora do bispo Edir Macedo: foram gastos US$ 7 milhões em equipamentos e infra-estrutura.

Nem só de briga pela audiência vive uma emissora de televisão. Apesar de ser a mais empenhada em ganhar público, a Record se embrenha por um caminho pouco explorado na TV aberta brasileira e lança um canal de notícias em tempo integral exibido no sinal 42 UHF, antes pertencente à Rede Mulher.

De acordo com o vice-presidente comercial da TV, Walter Zagari, o “empresário Edir” está empenhado em apostar mais ainda no canal de notícias. Mesmo assim, aproveitou boa parte da estrutura da emissora e os mil jornalistas de que dispõe para tocar o novo projeto, com o reforço de mais 200 repórteres. “Agora vem o investimento em conteúdo e pessoal”, diz o presidente da Record, Alexandre Raposo.

A idéia do diretor de Jornalismo Douglas Tavolaro e sua equipe é fazer um trabalho diferente daquele dos canais abertos e noticiosos da TV paga. “A cobertura das emissoras é insossa, apática e superficial”, criticou ele, referindo-se principalmente à Rede Globo. “Nosso foco vai ser a informação.”

Das 6h à 1h, entram na grade programas inéditos, que vão de noticiários de meia hora a produções de entrevista e boletins. Durante a madrugada, haverá reprises do que foi transmitido durante o dia. Tavolaro garante que, uma hora depois de passarem na TV, os programas estarão disponíveis na internet.

Paulo Henrique Amorim, Celso Freitas, Britto Jr., Christina Lemos e Lorena Calábria estão entre os escalados para ancorar jornalísticos de entrevistas e temáticos no canal. De todos, o primeiro a ter patrocínio foi o de Amorim, “Entrevista Record”, com tom de entretenimento, exibido na faixa das 22h. “Estou bem animado com o programa novo”, contou o apresentador. “Dá para conciliar com a Record sem problema nenhum.”

Tina Roma, que também trabalha na Jovem Pan, vai comandar “Zapping”, uma atração sobre celebridades no estilo Vídeo Show. “Vamos tratar de entretenimento como informação também”, explicou. Já Britto Jr., que divide a apresentação do “Hoje em Dia” com Ana Hickmann, ficou com o “Entrevista Imprevista”, talk show que será exibido diariamente às 20h.

A programação abre espaço até para um espaço dedicado exclusivamente à previsão do tempo, sob o comando de Adriana Reid, todo dia, às 8 h. Mas, como diferencial, a Record News terá telejornais regionais, voltados para Sudeste, Nordeste e Sul do País.

A previsão de lucros é polpuda, segundo o presidente da Record: R$ 100 milhões de faturamento no primeiro ano. O investimento da emissora na área de jornalismo engrossou nos últimos meses. A Record investiu pesado na compra dos direitos das Olimpíadas de 2012, que pela primeira vez estarão fora da Globo. “O caminho da liderança nunca esteve tão claro para nós”, disse Zagari, reiterando o “mantra” da emissora da Barra Funda. “Quem não é o primeiro tem de procurar ser o melhor.”

A única indefinição na estréia da Record News é a exibição do canal pela Net. Está acertado o sinal na TV aberta e com a TVA, que garantiu a transmissão. “A Net não é obrigada a transmitir o canal, mas esperamos que exiba, porque vai ser cobrada para isso”, afirmou Alexandre Raposo. “Se não exibir, não vou querer mais assinar.” A Net alega que a transmissão da Record News ainda está em negociação e que, portanto, pode ocorrer ou não.

Fonte: Bem Paraná