[img align=left width=300]http://almanaque.portalvox.com/wp-content/uploads/sites/3/2015/03/Band-estuda-rescindir-contrato-do-apresentador-Luiz-Bacci.jpg[/img]

Executivos da Record estão negociando com bispos da Igreja Universal para que o jornalístico popular Balanço Geral Manhã, apresentado por Luiz Bacci, comece a entrar no ar mais cedo, a partir das 5h. Para tanto, a igreja precisa ceder uma hora das quase cinco que ocupa nas madrugadas da emissora, pelas quais paga mais de R$ 500 milhões por ano. A Record tem encontrado forte resistência dos bispos.

A direção da emissora avalia que precisa iniciar sua programação jornalística mais cedo em contraofensiva à estratégia da Globo, que desde dezembro do ano passado exibe a partir das 5h o Hora 1, um telejornal pensado para quem sai cada vez mais cedo de casa para fugir ou enfrentar o trânsito das grandes cidades.

Com o Hora 1, a audiência da Globo entre 5h e 6h praticamente dobrou. Em muitos dias, o telejornal de Monalisa Perrone atinge médias de cinco pontos na Grande São Paulo. Além da boa audiência do próprio jornal, há um outro fator importante: o Hora 1 alavanca os telejornais que vêm a seguir: o Bom Dia São Paulo e o Bom Dia Brasil cresceram quase 20% e têm marcado médias acima de oito pontos quase todos os dias.

Para a Record, iniciar a programação às 5h tornou-se fundamental porque hoje, quando entra no ar, o Balanço Geral Manhã herda uma audiência inferior a um ponto. O telejornal leva quase uma hora para conquistar público razoável. Entrando no ar mais cedo, Luiz Bacci fará esse “aquecimento” antes das 6h e tende a dividir mais a audiência, tirando pelo menos alguns décimos do ibope da Globo.

O problema para a Record é que a Igreja Universal não quer ceder uma hora facilmente, sem contrapartidas. E a Record não pode abrir mão do dinheiro que a igreja paga pela madrugada mais cara da TV brasileira. A palavra final caberá a Edir Macedo, dono da Record e líder da Universal.

[b]Fonte: 180 graus[/b]