Desempregados de outras religiões temem essa discriminação religiosa no comércio de Porto Velho, em Rondônia.

O jornal O Estadão do Norte fez uma denúncia sobre uma rede de lojas de Porto Velho, em Rondônia, que só contrata funcionários que sejam evangélicos e ainda desconta 10% do salário para o dízimo.

Sem dar o nome da rede de lojas o jornal ouviu funcionários que afirmaram que os donos não contratam pessoas que professem outras crenças e os evangélicos contratados precisam concordar com o desconto do dízimo em folha de pagamento se quiserem manter seus empregos.

Ainda de acordo com os funcionários as primeiras perguntas da seleção é sobre a religião do candidato. Um dos entrevistados afirmou que deixou de ser contratado em duas lojas da rede por ser católico.

Essa afirmação já partiu de um funcionário que avisou ao candidato que ele não seria contratado porque a orientação da rede é para admitir somente evangélicos.

Diante dessas exigências, que estão se tornando comum na cidade, os desempregados temem que o número de desemprego entre católicos aumente.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]