Um cristão da etnia degar (também chamada de montagnard), que buscou segurança em um campo de refugiados no Camboja, foi enviado de volta ao Vietnã. Ele está sob prisão domiciliar e não pode sequer trabalhar em sua lavoura.

Os degars são uma minoria que vive no planalto central do Vietnã.

A agência de notícias AsiaNews relatou que Y Hning, 36, perseguido por questões éticas e religiosas, fugiu do Vietnã para o Camboja.

Após cruzar a fronteira, ele chegou ao campo de refugiados da ONU. Entretanto, foi logo enviado de volta.

Após seu repatriamento, Y Hning foi detido por policiais vietnamitas. Sua família foi forçada a pagar 100 mil dongs, o que equivale a 7 ou 8 dólares, mas o que é muito dinheiro para agricultores vietnamitas.

Mais dificuldades estavam por vir. Em 3 de agosto, a família de Y Hning foi obrigada a “doar” o único animal que havia sobrado para os policiais fazerem uma festa. Era um porco avaliado em 1,5 milhão de dongs (cerca de 110 dólares).

Em 8 de agosto, Y Hning foi forçado a assinar uma declaração, na qual renunciava formalmente ao cristianismo e concordava em parar de freqüentar a igreja degar.

O AsiaNews relatou que a Fundação Montagnard está apelando em favor de Y Hning em embaixadas e agências internacionais, na esperança de que ele e sua família possam ser poupados de mais perseguição.

Fonte: Portas Abertas