O Papa Bento XVI está preocupado com uma possível repetição no Equador das relações entre a Igreja Católica e o governo venezuelano, “que não são as mais cordiais”, disse nesta segunda-feira o presidente da Conferência Episcopal Equatoriana, Néstor Herrera.

O prelado se referiu a uma mensagem do Papa, na qual, segundo ele, o Sumo Pontífice defendeu que a nova Constituição do Equador, que começará a ser redigida em meados de novembro, “contemple a mais ampla liberdade religiosa”.

Segundo Herrera, o pronunciamento faz parte da “preocupação que o Santo Padre pode ter” com as relações “Igreja-Estado na Venezuela”, onde “não são as mais cordiais”.

“Precisamente, o Santo Padre pode ter tido a intenção, assim pelo menos eu a interpretaria, de prevenir que essa relação não vá se dar no nosso caso, os equatorianos”, comentou Herrera, citado pelo portal de Internet Ecuadorinmediato.

Herrera insistiu em que Bento XVI quis, em sua mensagem, “reafirmar com muita energia a liberdade religiosa sem interferência do Estado”.

Fonte: AFP