O relator especial sobre Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais dos Povos Indígenas da Organização das Nações Unidas (ONU), Rodolfo Stavenhagen, recebeu, neste fim de semana, das mãos da Ordem Nacional de Advogados Cristãos, uma lista dos casos de intolerância religiosa registrados no México nos últimos seis anos.

Ao participar do Congresso de Comunicadores Indígenas, reunido na Cidade do México, a Ordem entregou os documentos ao diplomata que se comprometeu de revisá-los e enviar um comentário a respeito para fazer as observações e recomendações necessárias às autoridades federais e estatais encarregadas de assuntos religiosos e justiça.

Ao longo da atual administração, a Ordem recebeu denúncias de cristãos evangélicos que vivem nas regiões indígenas de Chiapas, Estado do México, Michoacán e Hidalgo, localidades em que as garantias constitucionais teriam sido violadas. Eles acusam grupos católicos e autoridades locais pelas supostas violações.

“Durante o Congresso de Comunicadores Indígenas apresentamos propostas para a concessão de emissoras de rádio, que atualmente operam difundindo programas de apoio social em comunidades indígenas em vários estados do país, dirigidas por cristãos evangélicos”, disse o presidente da Ordem, Alfonso Farrera González.

González disse que foi proposta a divulgação, em todas as estações de rádio indígenas filiadas ao Sistema de Radiodifusoras Culturais Indigenistas, o Programa de Liberdade Religiosa, empreendido em coordenação com a Comissão Nacional dos Direitos Humanos.

Os programas difundidos todos os dias e em diferentes horários incluem temas educativos como prevenção de vícios, relações familiares, sexualidade, importância dos direitos humanos e respeito à diversidade.

Fonte: ALC