Uma religiosa italiana morreu neste domingo depois de ser atingida por tiros de desconhecidos em um hospital na capital da Somália, Mogadíscio, informaram testemunhas e fontes médicas.

Os criminosos invadiram o hospital SOS no distrito de Huriwa, zona sul da capital, e abriram fogo contra a religiosa antes de fugir.

“Entraram no local, atiraram na religiosa e fugiram. Não sabemos quem eram”, disse à AFP um funcionário do centro médico.

A vítima, com idade por volta dos 70 anos, era uma das colaboradoras estrangeiras mais idosas da Igreja Católica na Somália.

O assassinato coincide com a onda de protestos e indignação no mundo muçulmano com os comentários do Papa Bento XVI relacionando o Islã à violência.

Fonte: AFP