Líderes religiosos de diferentes denominações anunciaram que vão percorrer o país para exigir que o próximo presidente seja mais condescendente com os mais de 12 milhões de indocumentados que vivem na América.

O movimento prevê um primeiro ato em Columbus (Ohio), onde acontecerá uma vigília em apoio às famílias dos imigrantes que estão presos em centros de detenção do ICE.

O grupo de religiosos é liderado pelo rabino David Saperstein, diretor do Centro de Reforma do Judaísmo, reverendo Samuel Rodríguez, presidente da Conferência Nacional Hispânica de Líderes Cristãos; o diretor executivo do Concílio de Igrejas do Colorado, Jim Ryan; e pelo bispo da arquidiocese de Salt Lake City, John Wester. Eles pretendem viajar pelos Estados Unidos para buscar apoio à causa dos imigrantes, na chamada ‘Excursão dos Fiéis’ (Tour of the Faithful). “Temos que fazer alguma coisa, especialmente depois do que aconteceu em Iowa, disse um dos líderes, referindo-se à prisão de 400 imigrantes em Postville.

Para o bispo de Salt Lake City, os Estados Unidos atravessam um momento obscuro em matéria de imigração. “Como nação não podemos continuar nesta situação”, disse Wester, lembrando que o objetivo do movimento é convencer a nova administração (presidente e congressistas) da necessidade de uma reforma ampla e justa. “E nada melhor para isso do que convencer a opinião pública de que os direitos humanos dos imigrantes devem ser respeitados”, acrescentou o bispo.

Um primeiro passo, segundo os religiosos, é estabelecer uma política que solucione o problema e evite a separação de filhos de seus pais. Além disso, os líderes afirmaram que a maneira com que o governo trata os imigrantes está refletindo no mercado de trabalho, uma vez que os estrangeiros – especialmente latinos – têm mais dificuldades de crescer dentro de suas profissões. “Não importa de onde você é ou qual religião professa, o que precisamos é de união”, finalizou o bispo.

Fonte: AcheiUSA