Dois dias após o desabamento do teto da sede da igreja Renascer em São Paulo –ocorrida neste domingo (18) e que provocou a morte de nove pessoas– a Renascer publicou em seu site um comunicado pedido doações em dinheiro para a reconstrução do local.

Mais de cem pessoas ficaram feridas e ao menos 18 continuavam internadas até a noite desta terça-feira.

No site da instituição religiosa, a igreja pede aos fiéis que realizem os depósitos em uma conta bancária.

Ontem, uma testemunha ouvida pela Polícia Civil informou ter visto pingos de água escorrerem do teto antes da tragédia. Outras nove testemunhas –pessoas que ficaram feridas no desabamento– foram ouvidas.

Um inquérito policial foi aberto para apurar se houve negligência na liberação do alvará de funcionamento da igreja. De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), outras 17 testemunhas devem ser ouvidas nos próximos dias.

O Ministério Público de São Paulo informou que o Contru (Controle do Uso de Imóveis) da Prefeitura deverá ser intimado a depor sobre a revalidação da licença do local.

Demolição

O Ministério Público do Estado de São Paulo comunicou, na noite desta terça-feira, que a Renascer tem até as 15h de hoje (21) para apresentar um plano de demolição das paredes que restaram no local.

O IC (Instituto de Criminalística) informou que fará nova perícia nos escombros do prédio da sede da igreja Renascer só após a contratação de uma empresa de engenharia pela Renascer para a demolição do local. Isso porque partes da estrutura ainda podem ruir.

Em acordo firmado na noite de hoje entre a promotoria e a organização da Renascer, a igreja se comprometeu a contratar uma empresa especializada e apresentar um plano de demolição das paredes remanescentes do templo.

De acordo com a Defesa Civil, as paredes ainda podem ruir e põem em risco ao menos oito imóveis vizinhos do local. Ao menos 15 pessoas tiveram de deixar suas casas, informou o órgão.

Fonte: Folha Online