A Igreja Renascer em Cristo divulgou nota hoje negando as denúncias do Ministério Público de São Paulo de que o casal Estevam e Sônia Hernandez, fundadores da Renascer, teriam um patrimônio de R$ 130 milhões, em carros importados, apartamentos, fazendas e haras, no Brasil e no exterior.

A denúncia foi publicada no final de semana pela revista Veja. Segundo a reportagem, foi descoberta uma conta bancária dos bispos nos Estados Unidos, com um movimento de quase R$ 4 milhões em cinco anos.

Ainda de acordo com a revista, o casal, que responde por diversos crimes na Justiça brasileira, possui R$ 6,5 milhões em dívidas com o fisco paulista.

Na nota, a família Hernandes e a igreja se defendem afirmando que as informações prestadas pelo promotor do caso, Marcelo Mendroni, são “mentirosas, difamatórias e elaboradas deliberadamente de maneira a induzir a erro a opinião pública”.

“Não houve investigação nenhuma. As pretensas descobertas se referem a fatos e números que constam nas declarações de Imposto de Renda da família Hernandes e nos depoimentos do apóstolo Estevam e da bispa Sônia à Justiça americana. E, mesmo assim, apesar de constarem em documentos oficiais, os números foram maliciosamente manipulados e interpretados”, diz a nota.

Fonte: Última Instância