O segmento evangélico – com 80 mil membros no estado – deve apoiar os candidatos majoritários da Vontade Popular. Pelo menos essa é a intenção do assessor jurídico da Assembléia de Deus no Rio Grande do Norte, pastor Juscelino de Castro.

Os argumentos usados pelo pastor foram de que, ‘‘tanto Rosalba Ciarlini quanto Garibaldi sempre foram muito atenciosos com o segmento evangélico. E a franca maioria da nossa liderança vai votar neles’’.

O pastor Juscelino explicou que somado ao fato de que Garibaldi e Rosalba ajudam os evangélicos, há outro motivo que se refere à atual administração e contribui para que os evangélicos do Rio Grande do Norte não votem no PSB. ‘‘Nunca o segmento evangélico foi tão desprezado por um governo’’, justificou. Para ele, a atual governadora foi ‘‘desatenciosa , deselegante e desinteressada’’.

O pastor cita exemplos de situações nas quais a Assembléia de Deus procurou a ajuda do governo e foi ignorada. Um desses casos foi relatado por outro pastor, José de Anchieta de Azevedo, de Baía Formosa. Ele contou que foi um dos primeiros a apoiar Wilma de Faria na eleição passada, assegurando à atual governadora mais de mil votos. Recentemente, o pastor precisou falar com a governadora. Tentou três vezes e só conseguiu porque resolveu esperá-la no estacionamento do Centro Administrativo. A ele, a governadora prometeu uma nova audiência. ‘‘Espero até hoje’’, disse.

Juscelino Fernandes de Castro observou que o desprestígio é maior ainda porque a atual governadora tem um vice-governador que é evangélico, Antônio Jácome; e mesmo assim não estabeleceu diálogo com o segmento. Há relatos de que lideranças da Assembléia de Deus foram preteridas em Mossoró quando Wilma de Faria fechou acordo político com Sandra e Laíre Rosado.

Fonte: Diário de Natal