Em uma disputa repleta de ações judiciais, a ex-governadora Rosinha Garotinho (PMDB), 45, venceu as eleições para a Prefeitura de Campos dos Goytacazes, norte do Estado Rio de Janeiro. Com 100% das urnas apuradas, ela obtém 54,47% dos votos válidos, contra 45,53% do deputado federal Arnaldo Vianna (PDT), e assume pela primeira vez a prefeitura da cidade que é reduto eleitoral de seu marido, Anthony Garotinho (PMDB).

Rosinha já havia sido declarada eleita no primeiro turno, ao receber o equivalente a 78,9% dos votos válidos, como parte de um imbróglio judicial envolvendo seu oponente –os votos de Vianna foram anulados, em razão de sua candidatura estar impugnada pela Justiça Eleitoral.

Entretanto, por autorização do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o segundo turno foi realizado na cidade, até que o processo contra Vianna tramite completamente. Caso vencesse, o candidato do PDT poderia não assumir, dependendo do resultado judicial.

O registro de Vianna havia sido negado pelo juiz eleitoral e a decisão foi confirmada pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) porque as contas referentes ao período em que foi prefeito da cidade foram rejeitadas pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) e pelo TCU (Tribunal de Contas da União).

Rosinha tem uma trajetória política que se mistura com a de seu marido e ex-governador do Rio, Anthony Garotinho. Radialista, ela começou sua carreira política em 2000, ao assumir a Secretaria de Estado de Ação Social e Cidadania, durante a gestão de seu marido. Dois anos depois, se tornou a primeira governadora eleita no Estado, ao vencer a eleição no primeiro turno. Rosinha decidiu não concorrer à reeleição.

Denúncias

Em junho último, um relatório da Procuradoria Regional da República na Operação Segurança Pública S.A, da PF (Polícia Federal), apontou que Rosinha teria recebido doações ilegais de quadrilhas de máquinas caça-níqueis e do jogo do bicho. As doações teriam ocorrido entre 2001 e 2002, ano em que Rosinha se elegeu governadora –ela nega.

Durante a investigação da Operação Segurança Pública S.A. –que prendeu entre outros, Álvaro Lins, ex-deputado estadual e ex-chefe da Polícia Civil no governo de Rosinha– agentes da PF chegaram a revistar a casa do casal Garotinho, em Campos, para procurar indícios de ligação com contraventores.

A ação desarticulou um esquema de lavagem de dinheiro, facilitação de contrabando e corrupção. Na operação Pecado Capital, deflagrada em julho deste ano pela Delegacia Fazendária do Rio, foi investigado suposto desvio de recursos da Secretaria Estadual de Saúde, principalmente na gestão da ex-governadora.

Rosinha disputou a eleição pela coligação “Aliança Muda Campos”, que teve participação também de PMN, PTB, PSC, PR, PP e PRB.

Fonte: Folha Online