Os membros de uma seita ortodoxa russa que regressaram à superfície, após cinco meses de refúgio num abrigo subterrâneo, agrediram violentamente, quarta-feira, o líder da seita, provocando-lhe um traumatismo craniano.

De acordo com o vice-governador da região de Penza (a cerca de 700 quilômetros a Sudoeste de Moscovo), Oleg Melnitchenko, houve uma luta entre os membros da seita e o seu líder, o auto-proclamado profeta Piotr Kouznetsov.

Dessa contenda, resultou um «traumatismo craniano aberto» do líder da seita, Kouznetsov, segundo noticiou a agência de notícias russa Interfax.

Três dos últimos 14 membros da seita, incluindo um bebê de 20 meses, saíram do abrigo subterrâneo onde se encontravam desde há cinco meses e no qual esperavam o fim do mundo.

Os três elementos, uma mãe com duas crianças, foram convencidos por Kouznetsov, que foi transportado de um hospital psiquiátrico onde estava internado, a abandonar o abrigo.

A seita estava refugiada, desde Novembro de 2007, num abrigo subterrâneo, para se proteger do fim do mundo que, no seu entender, ocorreria em Maio de 2008.

A seita ameaçava fazer-se explodir caso a polícia tentasse retirá-los à força.

Fonte: Lusa – Portugal