Terminou o julgamento das jovens cristãs, acusadas de se vestirem imoralmente, no Sudão e, segundo o veredito, três delas foram consideradas culpadas. De acordo com o relatório do The Christian Post: “Sete meninas foram julgadas separadamente, e por três juízes diferentes.

Quatro delas foram consideradas inocentes e as outras três foram multadas em 82 dólares, valor que posteriormente foi reduzido para oito dólares. O relatório de Cartum, capital do Sudão, afirma claramente que a detenção foi realizada porque as meninas estavam vestidas com calças e saias, roupas que a polícia considera imoral, de acordo com os termos do artigo 152 do Código Penal do país. A punição também poderia ser de 40 chicotadas.

Ashagrie, analista da Portas Abertas, explica, “Esse artigo dá o poder ilimitado aos policiais de parar, prender e perseguir qualquer pessoa que não se vista de acordo com a lei, que foi concebida para criar uma sociedade homogênea, independente de etnia, religião ou crença. A sua aplicação afeta em particular as mulheres e as meninas cristãs do país. Em muitos casos, os cristãos são obrigados a vestirem-se como os muçulmanos para evitar as detenções e isso afeta profundamente a liberdade de religião”.

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional[/b]