O sangue em pó do padroeiro de Nápoles, São Genaro, se tornou liquido neste domingo de forma extraordinária quando o patriarca da Igreja ortodoxa do Chipre, Crisóstomo II, visita o templo e se detinha perante o relicário que contém a suposta sangue do santo.

O “milagre” aconteceu quando o cardeal de Nápoles, Crescencio Sepe, mostrava o relicário a Crisóstomo, que estava no Vaticano de visita e hoje foi à cidade italiana.

Sepe, segundo fontes religiosas, notou que o sangue em pó se transformava em líquido, um fato sem precedentes, já que a liquefação acontece só três vezes ao ano, uma no sábado que precede o primeiro domingo de maio, outra no dia 19 de setembro e a terceira em 16 de dezembro, fenômenos sempre relacionados com fatos do padroeiro e da cidade.

Em maio se lembra a transferência das relíquias do santo desde Pozzuoli, na província de Nápoles, para a cidade. No dia 19 de setembro é o aniversário da decapitação do mártir, ocorrida no ano 305 em Pozzuoli, durante a perseguição ao cristianismo promovida pelo imperador Diocleciano.

Em 16 de dezembro se lembra o aniversário da catastrófica erupção em 1631 do vulcão Vesúvio.

O fato, segundo Sepe, é um “sinal” da Providência e do desejo de São Genaro que de Nápoles seja construída “uma ponte entre as religiões para construir a paz”.

Para a Cúria napolitana é vontade do santo que as igrejas cristãs, separadas pelo cisma de 1054, voltem a se unir.

Fonte: EFE