O juiz do condado de Smith, Randall Rogers apresentou ao jovem Josten Bundy, duas alternativas: ele iria cumprir 15 dias de prisão ou ele se casaria com Elizabeth, além de ter que ler a Bíblia e procurar aconselhamento.

Um juiz do Texas (EUA) proferiu uma frase incomum, ordenando que, como alternativa à pena de prisão, o acusado deve se casar e anotar versículos da Bíblia.

Josten Bundy foi acusado de agredir o ex-namorado de sua namorada, Elizabeth Jaynes. Segundo o réu, o rapaz teria faltado com respeito e, por isso foi agredido.

O juiz do condado de Smith, Randall Rogers apresentou a Bundy, duas alternativas: ele iria cumprir 15 dias de prisão ou ele se casaria com Elizabeth, além de ter que ler a Bíblia e procurar aconselhamento.

“Você sabe que como uma parte da liberdade condicional, você vai ter que se casar com ela… no prazo de 30 dias?”, perguntou o juiz Rogers a Bundy.

Embora Bundy tenha 21 anos e Jaynes, 19, o rapaz disse que eles haviam falado sobre casamento no passado, mas que nenhum dos dois estavam prontos para contrair o matrimônio no prazo de 30 dias.

“Apenas penso que nós não íamos ser capazes de ter o casamento que queríamos”, disse Jaynes. “Seria apenas uma reunião simples. Eu nem sequer ainda tenho um vestido branco”.

Bundy afirmou que ele teria realmente preferido o tempo de prisão se não estivesse com medo de perder o emprego, devido a ter tantas faltas por causa do cumprimento da pena.

O casal foi oficializou o matrimônio em 18 dias, dentro do período probatório de Bundy. A família do rapaz não foi capaz de comparecer ao casamento por causa do curto prazo.

Embora a sentença do juiz Randall pareça fora do convencional, esta não é a primeira vez que um juiz ofereceu o casamento como alternativa para o pagamento por um crime.

Tais sentenças geralmente são mais comuns em outros países – que não os Estados Unidos – nos quais há leis mais rígidas contra o sexo antes do casamento, por exemplo.

[b]Fonte: Guia-me[/b]