O secularismo é uma realidade crescente nos Estados Unidos, e atualmente 34% dos jovens norte-americanos declaram-se sem religião. Esse é o resumo de uma recente pesquisa realizada no país.

O levantamento que indica que a população dos Estados Unidos segue o mesmo rumo da Europa foi realizado pelo Public Religion Research Institute (em tradução livre, “Instituto Público de Pesquisas Religiosas” – PRRI).

A média nacional do total de pessoas sem filiação religiosa é de 22%, mas em alguns estados, como o Oregon, esse percentual é de 37%.

Para os pesquisadores, esses números indicam que nos próximos anos a população dos Estados Unidos poderá se tornar majoritariamente de ateus, um contraste com a tradição e história do país, fundado por cristãos e estabelecido a partir de princípios bíblicos.

“[O] cenário religioso dos Estados Unidos está passando por uma transformação dramática”, disse Dan Cox, representante do PRRI, alertando que a mudança vai influenciar em questões culturais e políticas.

Outras mudanças significativas no cenário religioso do país estão sendo notadas pelo fato de que, aos poucos, os brancos estão deixando de ser a maioria entre os protestantes em geral, e que o catolicismo está cada vez maior no país, por conta dos hispânicos naturalizados.

As mudanças previstas pelo estudo do PRRI, divulgado em uma espécie de atlas interativo, fazem parte de um cenário interpretado pelos líderes evangélicos como prenúncio de uma perseguição religiosa.

Os cidadãos sem filiação religiosa tendem a ser mais liberais, favoráveis ao casamento gay, legalização do aborto e outras questões vistas pelos cristãos como antibíblicas.

Diante desse cenário, o pastor Franklin Graham conclamou os cristãos a se unirem em oração e também se envolverem na política, para minimizar os efeitos da perseguição religiosa que estaria por vir no país.

[b]Fonte: Gospel +[/b]