Seguidores do porto-riquenho José Luis de Jesús Miranda, que afirma ser o “Deus vivo”, se reunirão hoje em Miami para pedir ao presidente dos Estados Unidos, George W Bush, que acabe com as igrejas católicas do país.

A manifestação será realizada na frente da Arquidiocese de Miami tendo como lema “o celibato católico é o causador dos estupros e dos abusos sexuais”, disse à agência Efe Axel Poessy, porta-voz do Ministério Internacional Crescendo em Graça, movimento cujo fundador é Miranda.

“O apóstolo”, como o porto-riquenho é chamado por seus seguidores, convocou no último sábado seus fiéis e simpatizantes em 25 países para que, entre outras ações previstas, proclamem que “o celibato católico é uma doutrina diabólica”, declarou Poessy.

Miranda, de 60 anos, é considerado pelos fiéis do movimento Crescendo em Graça como a reencarnação de Deus no mundo, o “Jesus Cristo feito Homem” que pede à Humanidade que “cruze a ponte e siga o Jesús ressuscitado (em uma referência à mesma sonoridade com o nome do Jesus bíblico)”, afirmou o porta-voz do movimento.

Poessy aproveitou para acrescentar que os jornalistas que desejarem entrevistá-lo têm que entender que conversar com “o próprio Deus encarnado é mais importante do que entrevistar o presidente dos Estados Unidos”.

Quanto ao número “666” tatuado nos corpos dos fiéis deste movimento, Poessy afirmou não saber o porquê da acusação pública de serem uma seita diabólica, já que “o diabo foi destruído há 2007 anos”.

“Uma seita?”, perguntou Poessy, que disse que se fossem uma seita “viveriam em liberdade, sem “proibições” ou “controles” em suas vidas. “Nem sequer temos membresia, não precisamos dela, afirmou.

O porta-voz reiterou que o número “666” não é um símbolo satânico, “pois o ‘Anticristo’ não é satânico, é o melhor amigo da Humanidade”. “Honramos o que Jesus de Nazaré fez e seguimos o ressuscitado Jesús Miranda”, declarou.

Poessy também disse que a previsão é de que cerca de mil seguidores do “Apóstolo” participem amanhã da manifestação.

Jesús Miranda, diz que após uma “revelação” há 20 anos começou a pregar em uma pequena casa de Hialeah, em Miami. Ele consolidou com a passagem do tempo um movimento que atualmente conta com mais de 300 igrejas e 200 pastores ao redor do mundo.

Mais de 30 países da América e da Europa têm fiéis do porto-riquenho, como Argentina, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Brasil, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Haiti, México, Canadá e Espanha.

Fonte: EFE