Padres, bispo e religiosos de todo o país, além de representantes de movimentos sociais estão reunidos no Recife para um seminário para discutir a atuação da igreja nos últimos 50 anos com relação à questão agrária.

O objetivo é fazer um estudo sobre as ações que são realizadas no Brasil e avaliar a importância da entidade religiosa nas conquistas e conflitos do homem do campo.

O coordenado do seminário, Frei PhillipMachado, acredita que as discussões serão bastante amplas. “Não é um estudo apenas da reforma agrária, mas da questão agrária como um todo. A igreja tem a terra como um bem social”, disse.

Para o integrante da Comissão Pastoram da Terra, Dom Tomás Balduíno, a luta pela terra não é apenas uma questão de sobrevivência. “Esse pessoal não procura só o pedaço de chão da sobrevivência. É uma visão que vai além disso. É a visão da mudança no país, é o Brasil dos nossos sonhos”.

As conferências servirão para embasar um estudo que será publicado pela organização do seminário sobre a atuação da igreja no campo, contribuindo para que a sociedade compreenda o papel da instituição com relação ao tema. “O Estado deveria ter políticas públicas para isso. Se ele não atua, a sociedade civil tomas as providências e exixe aquilo que lhe é de direito, de ter terra para morar e trabalhar”, disse Dom Orlando Dotti. O seminário está sendo realizado na Fundação Joaquim Nabuco e termina neste sábado (10).

Fonte: Pe360graus