O Seminário Evangélico de Teologia (SET), de Matanzas, lamentou a decisão da Igreja Metodista de Cuba de separar-se dessa associação. Mas, disse, o seu retorno permanece em aberto porque “nos unem indissolúveis laços históricos e afetivos”.

A Junta Diretiva do SET afirmou, em comunicado, que após longo processo em que analisou as reclamações apresentadas pela Igreja Metodista, considerou pertinente formular alguns tópicos acerca da permanência de Carlos Molina como “professor convidado”, motivo central do conflito.

A Igreja Metodista oficializou, no último dia 16 de junho, o rompimento do pacto que mantinha há 60 anos com as igrejas Presbiteriana e Episcopal, pelo qual compartilhavam a manutenção do Seminário de Matanzas, principal centro ecumênico de educação teológica do país.

Os metodistas argumentaram que a anulação do pacto de unidade com as igrejas Presbiteriana Reformada e Episcopal, em vigor desde 1946, deveu-se à “falta de respeito da direção do Seminário com a nossa instituição”, ao ter ratificado como professor metodista uma pessoa desvinculada dessa denominação, e sem o consentimento das autoridades da igreja.

A decisão foi tomada pela Conferência Anual da Igreja Metodista em Cuba, realizada nos dias 15 a 17 junho, no Acampamento Canaã, na província de Santa Clara, a 267 km de Havana.

A Junta Diretiva do SET afirmou em pronunciamento público emitido na semana passada que sempre esteve disposta a abordar o tema, tal como manda o seu regulamento, que especifica a obrigação de ratificar os professores do Seminário.

Contudo, indicou o SET, “recebemos repetidamente a negação da Igreja Metodista em Cuba ao tratamento desse assunto na Junta Diretiva, ao não apresentar seus delegados às convocações da mesma, em três ocasiones”.
“Respeitamos, mas nos causa imenso pesar a decisão da Conferência Anual da Igreja Metodista em Cuba”, indicou o documento do SET.

Em documentos prévios à declaração do SET, os metodistas cubanos indicaram que apesar das reiteradas observações sobre a contratação de Molina, este foi ratificado pela Junta Diretiva.

Fonte: ALC