Senadores que apóiam ou que rejeitam o projeto que torna crime a discriminação a homossexuais (PLC 122/06), que pode ser examinado nesta quarta-feira (24) pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, estiveram nesta terça-feira (23) com o presidente interino do Senado, Tião Viana.

Cada grupo apresentou suas argumentações ao presidente do Senado, que recebeu os dois lados separadamente.

Contra o projeto, o senador Magno Malta (PR-ES) levou ao presidente Tião Viana parlamentares e líderes da Frente da Família. Malta repetiu seus argumentos contrários à proposta, chegando a afirmar que, se o projeto for aprovado, “empregador nenhumpoderá deixar de contratar um homossexual, pois será acusado de discriminação. Também não poderá demiti-lo, pois receberia a mesma acusação”.

A senadora Fátima Cleide (PT-RO), relatora do projeto na Comissão, levou ao senador Tião Viana o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, que fez a defesa do projeto. Fátima Cleide lembrou que o projeto seguirá depois para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Se sofrer modificações no Senado, terá de retornar ao exame dos deputados.

Fonte: Agência Senado