Em sua estreia, nos Estados Unidos, A Bíblia registrou audiência de 13,1 milhões de telespectadores, e nos dez países que já foi exibida, alcançou 160 milhões de pessoas.

A série A Bíblia, sucesso mundial de audiência e considerada uma superprodução pela quantidade de profissionais envolvidos, estreia hoje na TV Record, substituindo a elogiada minissérie bíblica José do Egito, produzida pela emissora.

A série produzida originalmente pelo History Channel conta em dez episódios importantes momentos narrados no livro sagrado do cristianismo. O capítulo de estreia tem como protagonistas Noé e o patriarca Abraão.

Idealizada por Mark Burnett, criador do reality O Aprendiz, e sua esposa, a atriz Roma Downey, a série teve gravações com câmeras de alta definição no deserto do Marrocos, norte da África; pós-produção com efeitos especiais em nível de cinema; e milhares de pessoas na equipe que encenou as histórias narradas pela Bíblia, incluindo estudiosos e teólogos que foram contratados para dar fidelidade ao projeto.

A dublagem para o português foi realizada por 70 profissionais diferentes, que foram selecionados de forma criteriosa, segundo o R7.

O diretor da série, Chris Spencer, afirmou que um dos momentos mais complicados de reproduzir foi o sacrifício de Jesus: “Um grande desafio foi filmar a crucificação. Só a maquiagem do ator que interpretou Jesus na cena levou duas horas”.

O ator referido por Spencer é Diogo Morgado, português que foi contratado para interpretar o Filho de Deus: “Jesus não foi só um papel. Não é um papel, é uma entidade e isso muda tudo. Não é só uma figura histórica, é uma figura que está viva no coração de milhões de pessoas diariamente. Eu descobri umas das coisas mais fantásticas que vou levar para o resto da vida […] A fé é o que nos motiva a acordar todo dia de manhã, fazer nossa vida e a acreditar nas coisas que temos e o que queremos”, declarou.

O autor da série revela que sua motivação para escrevê-la era mostrar a Bíblia como ela é, de forma que as pessoas que assistissem ao programa compreendessem seus ensinamentos: “Parte do que esperava conseguir com a série era mostrar que a Bíblia não é simplesmente uma coleção de histórias desconexas que são frequentemente discutidas e analisadas em trechos com capítulos e versículos. Em vez disso, queríamos mostrar como o Antigo Testamento conecta-se perfeitamente com o Novo Testamento. Como elas são histórias arrebatadoras com uma mensagem primordial: Deus ama cada um de nós como se fôssemos a única pessoa em todo o mundo para amar”, disse, em entrevista ao Huffington Post.

[b]Fonte: Gospel +[/b]