O candidato José Serra disse ontem no Jornal Nacional, na Rede Globo, que não explora os temas religiosos introduzidos por Dilma Rousseff.

Em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, ontem), o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, afirmou que não explora temas religiosos em sua campanha e acusou o PT e a líder nas pesquisas, Dilma Rousseff, de terem introduzido assuntos desse tipo na corrida pelo Palácio do Planalto.

Questionado pelos apresentadores sobre as razões que o levaram a alimentar a polêmica sobre o aborto, inclusive no horário eleitoral obrigatório, o tucano respondeu: “Não fomos nós que levantamos, nem nós exploramos”. Pouco depois, afirmou: “Quem introduziu esse ingrediente foi o PT e foi a Dilma”.

O presidenciável afirmou que a discussão sobre o tema só surgiu por conta do Plano Nacional de Direitos Humanos, do governo Luiz Inácio Lula da Silva, e de declarações de Dilma a favor da descriminalização do aborto, atenuadas às vésperas das eleições. “Nunca explorei isso do ponto de vista que ela estaria errada por ser a favor”, afirmou.

“O que acontece é que ela afirmou uma coisa e depois afirmou o oposto. Nem reconhece que disse o oposto, e, numa campanha, esses temas acabam sendo postos pela própria população. Nunca me passou pela cabeça transformar isso num centro de campanha, disse Serra.

“A candidata passou a frequentar igrejas, coisa que ela não fazia. A base disso está no fato de que uma hora ela diz uma coisa e em outra hora ela diz o oposto”, afirmou.

[b]Fonte: UOL[/b]