O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) acompanharam nesta terça-feira uma missa em homenagem ao Dia da Consciência Negra na catedral da Sé (centro de São Paulo).

O evento contou com a presença de diversos grupos paulistas de congada. No evangelho foi lida uma parábola sobre o cobrador de impostos que doa metade de sua fortuna aos pobres depois de conhecer Jesus.

Na homilia, o bispo-auxiliar de São Paulo dom José Benedito Simão afirmou que os cidadãos devem ser iguais pois, “não importa se são brancos ou negros, são todos filhos de Deus, que pagam seus impostos”. “As leis [de igualdade] são importantes, mas precisamos nos esforçar para que haja uma educação de base não só formal mas também informal. Para que as pessoas não sejam só instruídas mas também educadas para um novo humanismo.”

Na saída, Serra destacou que no Brasil ainda há “muita discriminação associada à raça” e elogiou a presença dos grupos de congada, que “são devotos da Igreja Católica e mantêm suas tradições”.

Ele afirmou ainda que, em comemoração à data, o governo do Estado distribuiu pela cidade cartazes com os nomes e fotos de grandes afrodescendentes brasileiros como Machado de Assis, Gonçalves Dias, Mário de Andrade, Carlos Gomes e Luiz Gonzaga.

O prefeito Kassab afirmou que o feriado é importante para “exteriorizar as nossas preocupações com as discriminações que ainda existem”.

Na praça da Sé, há shows desde o começo da tarde. O evento termina por volta das 19h, com um show de Martinho da Vila.

Fonte: Folha Online