Sete pessoas foram detidas em Hudayda, região no oeste do Iêmen, segundo a agência de notícias Sahwa Net. Acusados de propaganda cristã, essas pessoas foram detidas por forças de segurança em 18 de agosto.

As prisões foram confirmadas, mas o nome dos presos não foi divulgado.

O encarceramento de cristãos no Iêmen tem sido condenado. Apesar do silêncio das autoridades, sabe-se o nome de um entre os presos: Hani el-Dahayni, 30 anos, detido no final de maio deste ano.

A família de Hani confirmou que ele foi preso depois de a polícia invadir seu escritório. Durante a invasão, computadores e disquetes foram confiscados.

Teme-se que aqueles na prisão sejam torturados e sentenciados à morte por apostasia – uma punição infligida aos muçulmanos que trocam o islamismo por outra religião.

Esse tipo de punição também intimida a divulgação de notícias para fora do país.

O Ministério iemenita de Direitos Humanos confirmou que os detidos sofrem maus tratos na prisão.

Fonte: Portas Abertas