A ação foi encaminhada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro no dia 30 e protocolada no Tribunal Regional Eleitoral nesta terça-feira, 5 de novembro. Pastor e político podem ser multados em até R$ 25 mil cada.

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE-RJ) entrou com uma representação contra o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e o pastor Silas Malafaia, líder da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Os dois são acusados de propaganda eleitoral antecipada durante um culto religioso realizado no dia 13 de outubro.

Na representação, o procurador regional eleitoral, Maurício da Rocha Ribeiro, pede que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aplique multas de R$ 5 mil a R$ 25 mil a cada um. Segundo o Ministério Público, eles teriam utilizado a cerimônia religiosa para promover Lindbergh, que é pré-candidato ao governo do Rio. A ação foi encaminhada pelo MP no dia 30 e protocolada no TRE nesta terça-feira, 5.

Ainda de acordo com o MP, foram apresentadas no processo a transcrição de um trecho do culto no qual Malafaia. faz referências a políticos e oferece uma “oração grátis, 0800” para o senador. O pastor teria ainda insinuado uma eventual vitória de Lindbergh em 2014 (“Quem sabe eu tô orando pelo futuro governador do estado, um cara forte. Não custa nada, né?”).

Malafaia também apresenta o senador como um “homem de família” e completa que ele “não vai ganhar o mundo todo e esquecer da família, vai tentar ser governador, ser presidente, ser senador, se a família for a que primeiro leva”.

Para o procurador eleitoral, a transcrição da fala de Silas Malafaia não deixa dúvidas quanto à infração da legislação eleitoral. Além de reproduzir a declaração do pastor, a PRE-RJ anexou à ação uma cópia do vídeo e notícias veiculadas sobre a cerimônia na Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro.

Procurado pela reportagem, o senador Lindbergh Farias disse que sequer falou durante o culto e que vai recorrer da ação. “Meus advogados dizem que não tem chance alguma de uma ação como essa prosperar”, destacou.

O político ainda aproveitou para criticar o Procurador eleitoral e acusar outros possíveis candidatos ao governo do Rio de propaganda antecipada. “Espero q procurador tenha a mesma atitude dura contra o pré-candidato do PMDB (o vice-governador Luiz Fernando Pezão) que usa a estrutura oficial e inaugurações de obras públicas para fazer propaganda e com (Anthony) Garotinho que tem programa de rádio em todo o Estado”, disse.

Já o pastor Silas Malafaia estava em um evento em Fortaleza (CE) e, segundo sua assessoria, não conseguiria falar sobre o caso nesta terça-feira.

[b]Defesa de Silas Malafaia:
[/b]
Quero tecer alguns comentários sobre a visita de Lindbergh Farias à igreja que sou pastor:

1) Lindbergh esteve em dois cultos da nossa igreja neste último domingo (13). Não deu uma palavra se quer, tampouco sentou no púlpito.

2) Tenho aprendido com a Bíblia o que está escrito em 1 Timóteo 2 1-3: “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador”.

Qualquer autoridade que chegar na minha igreja, eu gostando ou não, faço uma oração por ela. Aprendi a honrar e obedecer protocolos.

3) Nós, evangélicos, temos que entender que na época das eleições cada um vota em quem quiser. Depois que se ganha, mesmo que não seja o meu candidato, pela Bíblia, como cristão, tenho que interceder por ele. Se o governador Sérgio Cabral chegar na minha igreja (diga-se de passagem que eu não tenho nada com ele e quero distância dele), sou obrigado a interceder e honrá-lo. Que tipo de cristão somos nós?

4) Lindbergh não esteve na minha igreja como evangélico, e na verdade nunca ouvi ele dizer que era. Mas alguns que se dizem cristãos e estão na política, põem em seus blogs e sites inverdades. Deviam aprender com Jesus que diz que a mentira é do diabo (João 8.44).

5) Aprendi também com a Bíblia que uma das coisas mais importantes da vida cristã é a gratidão. Quando o ativismo gay me denunciou de maneira caluniosa ao Ministério Público Federal, tirando o senador Magno Malta que é evangélico, foi Lindbergh Farias que me defendeu na tribuna do senado contra essa aberração, e lá existem outros senadores evangélicos que ficaram quietinhos. Por essa posição, Lindbergh “apanhou” um bocado do PT. É por isso que digo que voto em pessoas e não em partidos.

6) Para finalizar, mais uma vez reitero, Lindbergh Farias não deu uma palavra na minha igreja, não sentou no púlpito, não fiz nenhuma insinuação de pedir votos pra ele, simplesmente orei e intercedi por ele e pela sua família.

TEM POLÍTICO DITO EVANGÉLICO POR AÍ QUE PERDEU UMA GRANDE OPORTUNIDADE DE FICAR QUIETO E PARAR DE ESCREVER ASNEIRA!

Assista:

[b]Fonte: Estadão e Gospel Prime[/b]