Renata e Filipe se casaram. Walquíria e Neco estão noivos. Jonália e Moisés estão namorando. Em comum, além do amor e da religião, o cupido que os uniu é requisitado todo mês por cerca de 300 mil pessoas.

Trata-se do amoremcristo.com, uma espécie de Orkut cristão que já patrocinou 100 casamentos e se autodenomina “o maior site de namoro evangélico do Brasil”. “Geralmente, o crente procura uma parceira da sua igreja, com a mesma forma de cultuar Deus”, conta o comerciante carioca Filipe Caiado, 31 anos, que conheceu a esposa, a secretária Renata Marques, 27, trocando mensagens pelo site. Os dois, devotos da corrente batista, se casaram um ano depois e têm um filho, Arthur, de um ano e quatro meses.

Como ocorreu com o casal carioca, cada vez mais a internet vem se tornando uma extensão da igreja para os cristãos brasileiros, que, a usam para se aproximar da religião, seja com um flerte ou uma simples troca de ensinamentos bíblicos entre seus pares.

Na rede, hoje, há a versão religiosa para o sistema de buscas Google, a Goocrente, e para o site de compartilhamento de vídeos Youtube, o CristaoTube. Mais: ao digitar www. sexocristao.com, o internauta se depara com a mensagem: “O sexo como Deus planejou!” Nesse site, “moderadores evangélicos” respondem a perguntas do tipo “Casal cristão em motel: é pecado?” e “Sexo oral é pecado?” Para a primeira questão foi postado no site: “Não há pecado, mas (…) pode prejudicar a imagem do casal cristão, se um conhecido os vir entrando em um motel, que, na mente das pessoas, está relacionado com adultério. O ideal é que o casal junte mais dinheiro e vá a um bom hotel.” ISTOÉ fez contato via e-mail com os moderadores do sexocristao.com, mas não obteve resposta.

“A Universal do Reino de Deus e a Igreja da Graça usam a tevê, no caso a Record e a Bandeirantes, respectivamente, como forma de evangelização. As outras estão usando a internet para isso”, diz Eduardo Refkalefsky, especialista em comunicação religiosa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. “A tendência é usar a segmentação virtual para aproximar os fiéis.”

Nos Estados Unidos, a internet está um passo adiante, ou seja, hipersegmentada. “Lá, há sites de relacionamento voltados só para batistas, fazendeiros”, enumera Carlos Veiga Magalhães, 33 anos, criador do amoremcristo.com. Seu site, com chat freqüentado diariamente por cinco mil pessoas e MSN cristão, cobra R$ 12,90 para permitir a troca de mensagens entre os usuários.

Para postar um perfil, além de dados básicos como peso e altura, o internauta evangélico informa quantas vezes freqüenta a igreja, indica a corrente cristã que procura na parceira e explicita algumas preferências, como a por mulheres que não bebem nem fumam.

Em meados do ano passado, o consultor de vendas paulista Moisés Zanca, 43 anos, divorciado e pai de quatro filhos, cadastrou- se no site de Magalhães. Depois de receber alguns recados, encantou- se com a mineira Jonália Reis, 31 anos, separada e mãe de três filhos. “Oi! Te achei muito simpática. Me dá uma chance de te conhecer?” Essa foi a cantada eletrônica de Moisés para Jonália. Durante quatro meses, os dois se comunicaram pelo site e se falavam pelo telefone – às vezes da meia-noite às 5h da manhã. “Minha família dizia que eu estava bobo, parecendo um adolescente. Mas rolou uma química virtual”, diz Moisés. Namorados e batistas, ele e Jonália passaram o Natal e o Réveillon juntos – e planejam se casar. “Procurei uma companheira na igreja, mas não achei. Minha irmã já havia se casado com uma pessoa que conheceu em um site de relacionamento. Então, tinha de dar certo para mim também”, comemora ele.

“No nosso site só tem endereços de postos de gasolina, loja de roupas, móveis e imobiliárias de evangélicos”, diz Ramon Tessmann, criador do sistema de buscas cristão Acha Gospel / Goocrente. Com sete mil sites cadastrados e duzentas mil buscas por mês, o Goocrente é requisitado principalmente por quem procura músicas e cifras evangélicas e estudos bíblicos.

Há ainda como consultar o Novo Testamento virtual para pesquisar a palavra de Jesus Cristo no site GoBiblia. E assistir a ministrações, milagres e testemunhos pelo CristaoTube, o canal de vídeos dos evangélicos do Brasil, no ar há três meses. “Aprovamos os filmes previamente, ao contrário do GodTube (que recebe três milhões de visitas por mês), o Youtube religioso americano”, diz Armando Cordeiro, da agência de comunicação AVW, que criou o site. “Quanto mais mecanismos para expandir o contato entre evangélicos, melhor.”

Fonte: Revista Isto É