O deputado federal Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, participou do culto organizando pela Frente Parlamentar Evangélica (FPE) em um dos auditórios da Casa na última quarta-feira, 26 de agosto.

Cunha participou do culto e sentou-se ao lado da cantora Aline Barros, que foi convidada pela FPE (popularmente conhecida como bancada evangélica) para se apresentar na celebração.

[img align=left width=300]http://i0.wp.com/noticias.gospelmais.com.br/files/2015/08/aline-barros-eduardo-cunha-culto-camara-dos-deputados.jpg[/img]Os cultos organizados pela bancada evangélica na Câmara são realizados todas as quartas-feiras, e geralmente usam uma das salas do corredor de comissões. No entanto, com a presença de Aline Barros, a presença de parlamentares e servidores evangélicos aumentou consideravelmente, e por isso, a celebração foi transferida para o auditório Nereu Ramos.

Aline Barros foi ao culto acompanhada do marido, o pastor e ex-jogador de futebol Gilmar dos Santos. A realização de celebrações religiosas é uma das tradições da Casa do Povo, como a Câmara é também conhecida, e reuniões de outras religiões são realizadas frequentemente no local.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, Eduardo Cunha participou do culto apenas como expectador, sem fazer nenhum pronunciamento. Durante uma oração, deu as mãos com as pessoas que o ladeavam.

O colega de Parlamento, deputado Sóstenes Cavalcante (PSD-RJ) – que é pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) – comentou a presença de Cunha, que inicialmente participaria de uma reunião com a Frente Parlamentar Ambientalista: “O presidente ficou sentado em baixo, participando do culto. Ficou até o final e depois levei a Aline e o Gilmar no gabinete da presidência. O presidente costuma ir de vez em quando, não vai mais por causa da agenda. Estamos pensando em trazer, mensalmente uma atração”, afirmou Cavalcante ao jornal O Globo.

Atualmente, Eduardo Cunha vem sendo investigado pelas denúncias de recebimento de propina no esquema do petrolão. Uma parte dos US$ 5 milhões que supostamente ele teria recebido foi repassada pelo lobista Júlio Camargo a uma filial da Assembleia de Deus Madureira, em Campinas.

[b]Fonte: Gospel +[/b]