Um programa de computador dá a entender que a religião é fruto da evolução. O software, distribuído sob a licença GNU, a mesma dos sistemas operacionais Linux, foi desenvolvido pelo antropologista evolucionista James Dow, da universidade norte-americana de Oakland.

No programa, alguns aspectos da fé são atribuídos à genética. Mais especificamente a predisposição de passar adiante informações não verificadas é creditada aos genes. Para o cientista, se alguém fala a outras pessoas sobre uma crença como a vida após a morte, que não possui comprovação científica, ela apresenta uma predisposição a crer e reproduzir informações “irreais”.

Assim, as pessoas foram classificadas em dois grupos genéticos: os que crêem e transmitem informações não confirmadas e os que não crêem, e não transmitem, informações não confirmadas.

Para determinar se é possível que a religião seja fruto da adaptação, foi escrito o programa Evogod, com foco nos benefícios evolucionários que os humanos obtêm de relacionamentos inter-pessoais.

– As estão se adaptando a outras pessoas – ele explica.

O resultado: a religião surge, não graças às pessoas com fé, mas sim aos descrentes. Segundo Dow, as pessoas com o gene que leva ao desejo de proclamar suas crenças a outros acabaram extintas na maioria dos cenários. No entanto, quando os “descrentes” foram incluídos no programa como possíveis apoiadores de crenças “irreais”, a religião ganhou força.

– De alguma forma, os pregadores de informações não confirmadas estão atraindo o outro grupo – disse Dow, especulando que estes indivíduos se sentem cativados pela fé dos “crentes”.

Outra hipótese, para o cientista, é de que a disposição de sacrificar-se por um ser abstrato (Deus) seja um atrativo para a comunidade, deduzindo-se que tal indivíduo também seria capaz de sacrifícios pelo grupo.

O Evogod é um passo inicial e ainda limitado na compreensão do surgimento da religião, destaca a New Scientist, no entanto, é um começo. O estudo segue a linha que indica que a religião beneficiou de alguma forma os primeiros seres humanos

Fonte: ClicRBS – RS