Mulher de 73 anos e dois filhos foram assassinados a tiros no início da tarde do último sábado, em Ribeirão, na Mata Sul do Estado de Pernambuco, por um morador que teria se irritado com altura do som de música evangélica.

O agricultor Genival de Oliveira Leite, 36 anos, o irmão dele José Gildo Oliveira, 31, e a mãe dos dois, Josefa Alice da Conceição, 73, foram assassinados a tiros pelo vigilante José Adílson de Oliveira. Adílson é vizinho da família e teria se irritado com a altura em que eram ouvidas músicas evangélicas pelos moradores da casa em frente à sua e resolveu tirar satisfações. José Gildo teria colocado as caixas de som no terraço de sua residência, o que atiçou ainda mais a raiva do vizinho. O vigilante, armado com uma pistola, matou Gildo na rua, a mãe dele na sala e o irmão no banheiro.

De acordo com a dona de casa Maria Lúcia de Oliveira Leite, 32, irmã de Genival e Gildo e filha de Josefa, revelou que sua família morava na residência de número 1079, da Rua João Felipe, no Centro de Ribeirão, há dois anos. A convivência com toda a vizinhança sempre teria sido pacífica, mas na manhã do último sábado, o volume do aparelho de som incomodou Adílson, que é irmão do dono da casa alugada por sua família.

“Ele chegou reclamando por causa do som e a gente baixou. Meu pai ficou chateado e foi na casa do irmão dele dizer que ia entregar a residência para não ter confusão. Só que ao voltar, já encontrou a desgraça feita. As pessoas que presenciaram contaram que ele discutiu com Gildo e depois voltou armado”, explicou Maria Lúcia.

O vigilante seria empregado da Usina Pedrosa e após cometer o triplo homicídio pegou a mulher e as duas filhas, trancou a casa e fugiu. A Polícia Militar foi acionada porque a população queria derrubar a casa do acusado. O crime foi registrado pelo plantão da Seccional de Palmares.

Os dois homens levaram dois tiros cada um. A aposentada foi atingida apenas uma vez. Ela ainda chegou a ser levada para um hospital público de Ribeirão, mas não resistiu à gravidade do ferimento e faleceu. Os moradores da vizinhança ficaram revoltados com o crime e tentaram depredar a casa do acusado, no que foram impedidos pela Polícia Militar.

Comoção

O sepultamento da mãe e dos dois filhos aconteceu sob forte comoção ontem à tarde, no Cemitério de Ribeirão. Centenas de pessoas acompanharam o velório e o enterro. Os agentes de plantão na Delegacia de Ribeirão, responsável pela apuração do caso, informaram que não há pista do assassino.

Fonte: JC Online