Em um julgamento histórico, o STF (Supremo Tribunal Federal) decide hoje se autoriza ou não a extradição do padre colombiano Oliverio Medina, guerrilheiro das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), que em julho de 2006 obteve no Brasil a condição de refugiado político.

O governo colombiano o acusa de praticar atos terroristas e homicídio.

O reconhecimento da condição de refugiado, até então inédito para estrangeiro que responde a processo de extradição, poderá beneficiá-lo.

A Constituição brasileira não permite extradição por motivo político, e o Estatuto do Estrangeiro impede a extradição de refugiado. Oliverio Medina mora no Brasil há dez anos. Ele foi preso em 2005 em São Paulo.

No último domingo, a Polícia Federal prendeu no Rio de Janeiro o italiano Cesare Battisti, também acusado de terrorismo em seu país.

Fonte: Folha de São Paulo