Aaron e Melissa Klein, casal de boleiros cristãos
Aaron e Melissa Klein, casal de boleiros cristãos

Uma decisão da Suprema Corte do Oregon confirmou a multa de US$ 135.000 contra um casal cristão do Oregon que se recusou a fazer um bolo para um “casamento gay”. O advogado do casal vai agora procurar uma audiência da Suprema Corte dos EUA.

A Suprema Corte do Oregon recusou-se a ouvir um apelo de Aaron e Melissa Klein, um casal de confeiteiros cristãos que em 2015 foram multados em US$ 135.000 e que acabaram sendo obrigados a fazer um bolo de casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

A recusa de apelação veio depois que a Suprema Corte dos EUA decidiu em favor do confeiteiro do Colorado Jack Phillips, que também se recusou a fazer um bolo personalizado para celebrar um casamento entre pessoas do mesmo sexo. 

Kelly Shackelford, presidente e CEO do First Liberty Institute, que representa os Klein, disse em um comunicado que não vai parar com o recurso rejeitado.

“Ninguém na América deve ser forçado pelo governo a escolher entre a sua fé e o seu sustento. Mas foi exatamente isso que aconteceu aos nossos clientes, os padeiros Aaron e Melissa Klein. Estamos ansiosos por apresentar o nosso caso ao Supremo Tribunal dos Estados Unidos.”, afirmou Shackelford.

Em 2013, os Klein se recusaram a fazer um bolo de casamento para Laurel e Rachel Bowman-Cryer. Em resposta, o casal do mesmo sexo entrou com uma queixa contra o negócio dos Klein, Sweet Cakes by Melissa.

Em 2015, o Departamento de Trabalho e Indústrias do Oregon decidiu contra os Klein, concluindo que eles deveriam pagar uma multa de US$ 135.000.

O Tribunal de Apelações do Oregon também decidiu contra os Klein, com o juiz Chris Garrett escrevendo uma opinião em que ele comparou as objeções religiosas de Aaron e Melissa Klein ao casamento gay com pessoas que se opunham ao casamento inter-racial.

“Os Klein buscam uma isenção baseada em sua sincera oposição religiosa ao casamento entre pessoas do mesmo sexo; mas aqueles com sinceras objeções religiosas ao casamento entre pessoas de diferentes raças, etnias ou crenças poderiam igualmente exigir a mesma isenção”, argumentou Garrett.

“Os Klein não oferecem uma base de princípios para limitar sua isenção pedida da maneira que propõem, exceto para argumentar que existem razões ‘decentes e honradas’, fundamentadas na fé religiosa, para se opor ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.”

Como resultado da decisão do tribunal de apelações, os Klein foram obrigados a fechar os Sweet Cakes. Em março, o casal interpôs recurso na Suprema Corte do Estado.

Fonte: The Christian Post