Suspeito de assaltar o turista italiano Giorgio Morasse, de 29 anos, no dia 19, Rodrigo Carvalho Cruz, o Tico, de 20 anos, morador do Morro do Cantagalo, em Copacabana, Zona Sul da cidade, que já havia cumprido pena em uma instituição para menores infratores por prática de roubo, em 2004, se apresentou nesta segunda-feira (26) na Polinter-Divisão de Capturas, na Zona Portuária.

Ele chegou acompanhado de um pastor evangélico.

Tico confessou ter assaltado o turista, mas negou que tenha assassinado a vítima. Depois de arrancar o cordão do pescoço do pai de Giorgio, Tico tentou escapar numa bicicleta quando o italiano reagiu e foi jogado com um safanão na pista, sendo atropelado por um ônibus.

Italiano foi cremado

O corpo do italiano Giorgio Morasse foi cremado na quinta-feira (22). Segundo o cônsul-geral da Itália no Rio, Ernesto Massimo Bellelli, a cerimônia ocorreu no Forno Crematório do Rio de Janeiro, no Caju, com a presença do pai, do irmão Victor Morasse, e da família de sua noiva, que é brasileira. A mãe, por estar muito abalada, não foi à cerimônia.

“Ela chora o tempo todo e não conseguiu ir. Fiquei com ela enquanto a família foi à cremação”, explicou o cônsul.

Segundo informou Bellelli, a família deverá voltar para a Itália até a próxima terça-feira (27).

Justiça decreta prisão de suspeito

A Justiça decretou a prisão temporária do suspeito de ter causado a morte de Giorgio Morasse, segundo o delegado Fernando Veloso, da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista, responsável pelo caso desde quinta-feira. Ele deverá ser indiciado por latrocínio.

O delegado contou que Rodrigo Carvalho Cruz, conhecido como “Tico” foi reconhecido formalmente por fotografias pelo irmão da vítima. A foto ao lado foi divulgada pela polícia.

Extra-oficialmente, o pai da vítima, uma amiga da família e um motorista de táxi também confirmaram as características físicas do suspeito.

Fonte: G1