A comunidade muçulmana de Latina estaria considerando a possibilidade de ir às ruas para protestar “pacificamente” contra a venda de tampas de privada decoradas com versos do Alcorão nas províncias de Latina e Frosinone, centro-oeste da Itália, informou o jornal árabe publicado em Londres Al-Quds al-Arabi.

Segundo a publicação, as tampas de privada foram colocadas à venda pelo grupo Orizzonte, proprietário de uma cadeia de supermercados nas cidades de Latina, Terracina, Sabaudia e Frosinone.

O episódio, denunciado no fim dom mês passado pelo imã de Latina, Shaykh Yusuf, corre o risco agora de aumentar a tensão com a comunidade islâmica local que, segundo o jornal, lamenta “a escassa colaboração por parte da polícia” italiana em “recuperar os produtos vendidos”.

Cerca de 240 tampas, importadas da China e decoradas com o verso de número 255 da segunda sura do Alcorão, que aborda a grandeza de Alá, haviam sido recuperadas no fim de outubro em um supermercado de Latina.

O ministro do Interior, Giuliano Amato, havia então assegurado ter dado ordem às autoridades para intervir imediatamente, comentando: “é um episódio que ofende os islâmicos e portanto a mim também”.

A comunidade islâmica de Latina havia convidado os fiéis a “deixar para as autoridades italianas e os representantes da comunidade” o dever de “tratar problemas similares”, reafirmando que o incidente, “não obstante sua gravidade”, não deve “ser levado como uma campanha de menosprezo da religião islâmica”.

Os representantes da comunidade haviam, entre outras coisas, advertido e seus fiéis para não responder à provocação de todos aqueles que “estão agindo de forma desmedida e não esperam outra coisa senão incidentes análogos para realizar os próprios objetivos”.

Fonte: Ansa