Em seu depoimento o pastor alega que tem direito de se expressar e que queria se manifestar contra os radicais islâmicos.

O pastor Terry Jones foi preso na sexta-feira, 22, por organizar um protesto em frente a uma mesquita islâmica, pois o juiz da cidade de Dearborn, em Michigan, considerou a atitude do pastor como uma “ameaça de violência”.
Jones foi preso juntamente com seu maior seguidor, Wayne Sapp e foram liberados após pagar fiança.

Eles planejavam realizar uma manifestação em frente ao Centro Islâmico da América em Dearborn, um subúrbio de Detroit que abriga uma das maiores comunidades mulçumanas dos EUA.

Em seu depoimento Jones afirmou que queria protestar contra o “elemento radical do Islã” e chegou a alegar que sua prisão feria o direito de liberdade de expressão que lhe é garantido.

“Tudo o que queremos fazer é andar, protestar na área que pertence a você, à cidade”, afirmou Jones. “Não estamos acusando esta igreja. Não estamos acusando as pessoas de Dearborn. Não estamos acusando todos os muçulmanos”, se explicou o pastor.

No mês de março as atitudes do pastor Terry Jones contra o islamismo resultou em diversos protestos no Afeganistão e na morte de várias pessoas. Os afegãos protestaram contra a queima do Alcorão, que foi feita pela igreja de Jones na Flórida, como forma de punir os “responsáveis” pelos atentados de 11 de setembro.

[b]Fonte: Gospel Prime[/b]