Um homem arrancou a arma de um segurança israelense e disparou contra ele na sexta-feira na Cidade Velha de Jerusalém, dando início a um tiroteio que levou à morte do agressor e fez pelo menos 10 feridos, segundo a polícia e equipes médicas.

As autoridades identificaram o agressor como sendo “um homem árabe” com idade de 18 a 20 anos. Um comandante da polícia o qualificou de “terrorista”, embora não tenha explicado suas motivações.

Falando à Rádio Israel, esse comandante disse que o homem baleou o segurança depois de furtar sua pistola, junto ao movimentado mercado que fica perto da Igreja do Santo Sepulcro, na parte cristã da Cidade Velha.

Um outro segurança perseguiu e baleou o agressor, segundo o comandante policial. A polícia e a Zaka (serviço de emergência) confirmaram a morte do agressor.

“Por causa do tiroteio, alguns civis ficaram feridos”, disse o comandante policial.

Os serviços de emergência disseram que há 10 feridos a bala, a maioria sem gravidade.

A Cidade Velha fica particularmente cheia de comerciantes e turistas na sexta-feira.

Uma testemunha disse à Rádio Israel que dois seguranças mataram o agressor. “Eu vi que o ferido no chão não estava se movendo nada. Não vi nada nas mãos dele. Vi dois seguranças que continuavam disparando contra o homem, e o homem não se movia nada. Ele estava morto.”

Em resposta, o comandante policial afirmou que apenas um dos guardas baleou o agressor, agindo “profissionalmente”.

Em maio, forças israelenses mataram dois palestinos durante um tiroteio em Jerusalém Oriental, a parte árabe da cidade. Dois oficiais israelenses ficaram feridos no incidente. Nenhum grupo militante assumiu envolvimento naquele incidente.

Fonte: Reuters