O Conselho da Magistratura do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) decidiu que os prédios do Judiciário gaúcho continuarão sem crucifixos nos seus espaços públicos.

A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira pelos membros do conselho.

Eles não atenderam a um pedido da Associação de Juristas Católicos no sentido de que os crucifixos voltassem a ornamentar as salas do Judiciário, como acontecia até fevereiro.

Foi naquele mês que, pela primeira vez, o Conselho da Magistratura tomou decisão administrativa, no sentido de remover os símbolos religiosos dos espaços onde ocorrem julgamentos. Isso ocorreu em atendimento a um pedido da Liga Brasileira de Lésbicas e também de outras entidades, que argumentam que a Constituição Brasileira considera o Estado brasileiro laico — portanto, sem religião oficial.

Na decisão, o conselho considerou que não cabe reformulação a uma decisão anterior de um presidente do TJ-RS, Marcelo Bandeira Pereira, que já optara pela remoção dos crucifixos.

[b]Fonte: Jornal Zero Hora – RS[/b]