Três homens serão julgados sob as leis anti-terrorismo pela decapitação de três jovens cristãs em Poso, na província indonésia de Sulawesi Central, em outubro do ano passado.

As acusações registradas nesta semana responsabilizam Hasanuddin, Lilik Purnomo, conhecido como Haris, e Irwanto Irano por envolvimento em “ato de terrorismo pelo uso de força causando perda de vidas”, segundo informou, em 3 de novembro, um funcionário da Procuradoria Geral.

Em 29 de outubro de 2005, as três garotas iam para casa quando foram atacadas e decapitadas por assaltantes armados de facões na área de Gebang Rejo, em Poso (leia mais). As cabeças de duas das moças foram encontradas perto de um posto policial e a terceira foi descoberta do lado de fora de uma igreja.

O caso chocou a opinião pública na Indonésia e no resto do mundo. O presidente Susilo Bambang Yudhoyono condenou o triplo assassinato.

Dossiês a respeito dos três suspeitos foram apresentados à corte distrital de Jacarta em 30 de outubro, depois que as acusações foram registradas, em preparação para o julgamento. Achmad Michdan, advogado dos três acusados, confirmou que seus clientes em breve comparecerão à corte, que ainda não decidiu a data do julgamento.

A região de Poso se transformou em um campo de batalha entre cristãos e muçulmanos, entre os anos de 1999 e 2001, em conflitos que deixaram mais de mil mortos e deslocaram milhares de pessoas.

Fonte: Portas Abertas