Três seguidores de uma seita cristã proibida pelo Governo chinês foram condenados à morte na província de Heilongjiang, por terem assassinado 20 membros de um grupo rival, informa o jornal “South China Morning Post”, de Hong Kong.

Outros três integrantes da organização Três Categorias de Servos foram condenados à morte com suspensão da pena por dois anos. A sentença costuma ser equivalente a uma prisão perpétua. O tribunal ainda condenou 11 membros da seita a penas de prisão de três a 15 anos.

Conhecido também como Igreja da Verdade, o grupo foi fundado em meados dos anos 80 por Xu Shuangfu, de 60 anos. Ele é um dos condenados à pena capital, junto com Li Maoxing e Wang Jun.

De acordo com a sentença, os acusados assassinaram, entre 2002 e 2004, 20 pessoas que faziam parte de uma seita rival, a Luz Oriental, além praticar fraudes no valor de US$ 4 milhões.

A defesa vai recorrer por considerar a condenação à morte “legalmente inadequada”, disse o advogado de Xu, Li Heping.

A Igreja da Verdade combinava aspectos da tradição cristã com cultos esotéricos, e foi proibida pelo Governo chinês em 1999 por ser considerada uma seita perigosa.

Fonte: EFE