A Confederação Israelita do Brasil fracassou na tentativa de impedir que judeus fossem convocados como mesários na eleição de 1.º de outubro, data que coincide a mais importante celebração do calendário judaico: o Yon Kippur, o Dia do Perdão.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitaram um pedido da entidade para que fosse concedida uma dispensa ampla a todos os judeus. A confederação também não conseguiu que os prédios ligados à comunidade judaica, como escolas, deixassem de ser usados como locais de votação.

Durante o julgamento, os ministros do TSE ponderaram que se o pedido fosse atendido poderia abrir um precedente para que praticantes de outras religiões fizessem solicitações semelhantes. Mas, apesar de terem rejeitado o pedido, os integrantes do tribunal ressaltaram que situações específicas podem ser analisadas por juízes eleitorais.

“Ressalvo a possibilidade de o juiz eleitoral analisar caso a caso. Acho perigosa a generalidade”, afirmou o relator do caso, ministro José Delgado.

Fonte: Estadão