O plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) negou o recurso ajuizado pela coligação do candidato Geraldo Alckmin (PSDB-SP) contra o então candidato do PT à reeleição, Luiz Inácio Lula da Silva.

No recurso, a coligação de Alckmin pedia a aplicação de multa a Lula pelo suposto uso da máquina administrativa na campanha eleitoral de 2006.

A coligação reclamava de uma audiência entre Lula e um grupo de evangélicos no Palácio da Alvorada –que declarou apoio ao petista.

Em seu voto, o ministro Caputo Bastos disse que a reeleição “traz diversos problemas em torno dos atos praticados pelo candidato no exercício do cargo para o qual foi eleito.

Na verdade, no sistema adotado, o candidato à reeleição prossegue no cumprimento de suas obrigações como mandatário do cargo para o qual foi eleito.

Isso quer dizer que continua cumprindo sua agenda de trabalho. Assim não se pode desconhecer que estão incluídas as audiências que concede a diversos grupos, que são noticiadas”.

Fonte: Folha Online