O ativismo gay resolveu agir de forma intensa também na internet, e na última quarta-feira, 17 de junho, hackers invadiram o perfil da Igreja Universal do Reino de Deus no Twitter e publicaram mensagens de apologia à homossexualidade.

Uma das publicações pedia que os seguidores da igreja no Twitter demonstrassem amor pelos homossexuais: “Amem as travestis. Amem os gays. Amem todos”, dizia o tweet.

Os hackers ativistas gays também publicaram uma mensagem em referência à empresa de cosméticos O Boticário, que recentemente veiculou um comercial sobre o Dia dos Namorados em que casais heterossexuais e homossexuais trocavam presentes.

“O Boticário mostrou um amor que incomodou a muitos homens. Mas não incomodou a Deus. Isso é amor”, dizia a publicação, fazendo referência às críticas do pastor Silas Malafaia à empresa.

À época, o líder evangélico publicou um vídeo em seu canal no YouTube pedindo que os evangélicos boicotassem a empresa por causa da promoção da ideologia gay em uma grande mídia de massa, que é a televisão.

[img align=left width=300]http://i2.wp.com/noticias.gospelmais.com.br/files/2015/06/twitter-igreja-universal.jpg[/img]O comercial, veiculado pela empresa também na internet, vinha dividindo opiniões até a manifestação de Malafaia. Porém, após o pedido de boicote, a aprovação ao comercial aumentou substancialmente, e a ação do pastor foi considerada um tiro no pé.

Ainda dentro do mesmo contexto, o site do pastor Marco Feliciano (PSC-SP) foi invadido por hackers no domingo 07 de junho, dia da realização da Parada Gay em São Paulo. Na página principal, foi colocada uma imagem com as cores da bandeira do ativismo gay e uma montagem de um Jesus Cristo com o rosto de um ator negro.

A Igreja Universal do Reino de Deus se manifestou através da assessoria de imprensa e afirmou que “já foram tomadas as providências cabíveis para o restabelecimento do controle da conta” da denominação no Twitter.

[b]Fonte: Gospel +[/b]