Cinco judeus ultra-ortodoxos atacaram hoje uma mulher de sua comunidade religiosa e um soldado por se negarem a se sentar em assentos separados em um ônibus que se dirigia aos arredores de Jerusalém, informou a Polícia israelense.

O incidente aconteceu quando os cinco ultra-ortodoxos pediram à mulher que mudasse de lugar, pois estava sentada junto a um homem, e ela se negou, explicou o porta-voz policial, Micky Rosenfeld.

Os judeus radicais empurraram e insultaram a mulher, além de fazer o mesmo com o soldado, mas nenhum dos dois precisou receber atendimento médico, segundo Rosenfeld.

Quando o ônibus chegou a seu destino, a localidade de Beit Shemesh, a oeste de Jerusalém, entre 40 e 50 judeus ultra-ortodoxos repreenderam os policiais que foram enviados ao local e destruíram os pneus de alguns carros da Polícia.

Embora Beit Shemesh não seja uma cidade de maioria ultra-ortodoxa judaica, os membros desta comunidade protagonizaram diversos incidentes para pedir à companhia de ônibus que abra linhas onde as mulheres e os homens possam se sentar separadamente, informou o jornal israelense “Ha’aretz”.

Fonte: EFE