Centenas de jovens religiosos se manifestaram violentamente nesta quinta-feira à noite, no bairro ultraortodoxo de Mea Shearim, em Jerusalém, contra a Parada Gay programada para 21 de junho na cidade santa, informou um fotógrafo da AFP.

Os manifestantes, que consideram o desfile do Orgulho Gay como uma “abominação”, bloquearam ruas, queimaram pneus e latões de lixo, além de jogar pedras na polícia.

Mea Shearim já foi palco, na véspera, de uma agitação similar.

A polícia israelense autorizou um desfile homossexual, na próxima quinta-feira, em Jerusalém, assim como uma contramanifestação de ultraortodoxos, no mesmo dia, disse hoje o porta-voz da polícia Micky Rosenfeld.

“A polícia decidiu permitir uma marcha de homossexuais no centro de Jerusalém, que terminará com uma festa nos jardins públicos”, completou.

O porta-voz também anunciou que a polícia autorizou uma manifestação dos ultraortodoxos na entrada de Jerusalém contra a parada gay, sob o lema “Deus odeia a devassidão”.

Rosenfeld disse que “mais de 7.000 policiais” vão garantir a segurança dos participantes e “evitar as desordens”.

A Parada Gay de 2006 em Jerusalém foi anulada após protestos dos judeus ultraortodoxos, que a consideraram uma “afronta ao caráter sagrado” da cidade, mas os homossexuais fizeram um grande encontro no estádio local.

Durante o evento de 2005, um judeu ultraortodoxo feriu três participantes com uma faca, e foi condenado a 12 anos de prisão.

Fonte: AFP