Um milhão de pessoas se suicidam a cada ano no mundo, das quais 90% têm doenças mentais que não foram diagnosticadas nem tratadas, segundo números fornecidos pelas Nações Unidas.

“Mais pessoas morrem ao dia por suicídio que como resultado das guerras e de homicídios em sua totalidade”, afirmou em entrevista coletiva José Manoel Bertolote, coordenador de desordens mentais e cerebrais da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A ONU lembrará em 10 de outubro o Dia Mundial da Saúde Mental, no qual serão realizados atos no mundo todo para conscientizar os Governos e organismos da sociedade civil sobre a necessidade de reduzir o risco e a prevalência dos suicídios entre as pessoas com doenças mentais.

Bertolote disse que a devastação provocada pelos suicídios e o sofrimento individual das pessoas que decidem se suicidar é uma questão que precisa ser abordada com urgência.

O coordenador lembrou que a China é um dos países onde ocorrem mais suicídios, sobretudo entre as pessoas jovens, que usam pesticidas para se suicidar.

Outro país com um alto índice de suicídios é a Estônia e, segundo Bertolote, isso poderia estar relacionado com questões culturais ou religiosas.

No primeiro mundo, segundo Bertolote, há países como a Austrália, Holanda, EUA e Suíça onde a taxa de suicídios é considerada relativamente elevada e, embora alguns casos estejam relacionados com o estresse, a perda do emprego ou problemas familiares, em geral se trata de uma desordem mental.

Sob o título “Criar conscientização: Doenças mentais e suicídio”, a Federação Mundial para a Saúde Mental lançou uma campanha este ano para educar e chamar a atenção dos educadores, profissionais de saúde e políticos para que se dêem conta da necessidade de prevenir os suicídios.

“A falta de tratamento de doenças mentais pode ter conseqüências fatais, por isso é necessária vontade política para mudar os sistemas e serviços de saúde, e é preciso oferecer programas de reabilitação apropriados aos pacientes”, afirmou Brian L. Mishara, presidente da Associação para a Prevenção de Suicídios.

Fonte: EFE