Por iniciativa da Sociedade Bíblica da Argentina, em novembro de 2004 foi firmado documento histórico introduzindo a celebração em conjunto.

Além disso, no mês de setembro, a Igreja Católica Romana, a Igreja Ortodoxa, as Igrejas Evangélicas e outras confissões cristãs celebram o Mês da Bíblia no país.

Este ano, afora os serviços religiosos que cada templo, paróquia e igreja vão realizar no domingo, também estão previstas, no país, conferências e celebrações alusivas ao Mês da Bíblia. Algumas terão características ecumênicas e outras agruparão organismos e conselhos denominacionais, que contam com o auspício da Sociedade Bíblica Argentina.

Buenos Aires será palco de uma das maiores mostras de unidade em torno das Sagradas Escrituras. Na segunda-feira, 25, será realizada palestra no Teatro da Comédia, organizada pela Comissão de Ecumenismo de Igrejas Cristãs na Argentina (CEICA), com o apoio da Federação Argentina de Igrejas Evangélicas (FAIE). Monsenhor Luís H. Rivas, reconhecido biblista católico, e a teóloga e pastora luterana Mercedes García Bachmann vão falar sobre o tema “Os evangelhos canônicos”.

O diretor da Sociedade Bíblica Argentina, Marcelo Figueroa, disse para a ALC que entre os múltiplos fundamentos para a introdução desse dia “podemos citar que a Bíblia foi o livro fundamental das culturas ocidental e oriental, e sua gravitação na legislação, na ética e em todos os ramos da arte deu um perfil comum à nossa cultura latino-americana”.

Além do valor sagrado que a Bíblia tem para os crentes, ela é um dos tesouros mais ricos da literatura universal de todos os tempos. Sua importância é indiscutível em todos os âmbitos da cultura, assinalou Figueroa.

Fonte: ALC