Assaltantes destruíram uma escola cristã em El-Manara, na cidade de Gaza, no sábado, 31 de maio, e levaram um ônibus que pertence à Sociedade Bíblica. A ação fez parte da hostilidade contra os cristãos na região, segundo informações do Centro Palestino para os Direitos Humanos.

“O Centro vê esse ataque como uma continuação do caos e da insegurança que toma conta do território palestino ocupado”, disse a organização disse em seu site (www.pchrgaza.org). “Convocamos as autoridades a protegerem vidas e propriedades de civis e a impor restrições adequadas com o intuito de evitar que tais tragédias se repitam “, disse a organização.

O site do jornal “Israel Today” trouxe um registro do caso. De acordo com uma investigação preliminar e as declarações dos guardas, pistoleiros desconhecidos vandalizaram a escola em El-Manara, de propriedade da Sociedade Bíblica, dois guardas escolares foram espancados e um ônibus branco foi roubado.

A mesma escola foi atacada por pistoleiros desconhecidos em fevereiro. O jornal ainda relembra a morte do gerente da Sociedade Bíblica de Gaza, Rami Ayyad ( leia mais), seqüestrado e assassinado, após ter recebido ameaças de morte por conta de suas atividades cristãs.

“Gaza possui cerca de1,6 milhão habitantes, só aproximadamente 2000 dizem ser cristãos e destes só aproximadamente 200 deles reivindicam ser cristãos evangélicos”, dizia o texto da reportagem.

“Também em Gaza, no fim de semana, 10 membros de uma família cristã foram feridos, incluindo quatro mulheres e três crianças, quando uma bomba colocada dentro da casa deles detonou.”

Fonte: Portas Abertas